Skip to content

Aplicativo de celular ajuda municípios no combate ao mosquito da dengue

18/01/2016
SONY DSC

SONY DSC

Fonte: G1 PR

O combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus – em 25 municípios da 10ª Regional de Saúde de Cascavel, no oeste do Paraná, terá o reforço de um aplicativo de celular. A estratégia faz parte do plano de ação que será adotado a partir de sábado (9) na região.

Por meio da ferramenta móvel, a população pode, entre outros, indicar pontos com possíveis criadouros do mosquito. Com a denúncia enviada diretamente aos Centros de Controle de Endemias dos municípios, agentes de saúde são acionados para verificar a informação e eliminar os focos do transmissor.

“O aplicativo é mais uma maneira de envolver e comprometer as pessoas na vigilância contra o Aedes aegypti. Esta luta é incessante e estamos procurando fazer isso de forma organizada. Os moradores precisam ser os principais fiscais já que são eles que estão ali, em cada quadra da cidade, todos os dias”, comentou o chefe da 10ª Regional de Saúde, Miroslau Bailak. As demais ações, como a nomeação de vigilantes, delegados e detetives por regiões das cidades para reforçar o combate, serão anunciadas na segunda-feira (11).

Segundo o guarda de endemias e coordenador do combate a dengue em São Miguel (RN), uma das cidades a adotar o programa, a ferramenta permite, entre outros, que os criadouros do mosquito sejam localizados e eliminados de forma mais rápida. “Atuamos com rapidez. As pessoas indicam onde estão os possíveis focos do Aedes e assim podemos cortar a evolução da lavar à fase alada, consequentemente reduzindo a infestação e as chances de contaminação”, explicou.

Tecnologia
Criado em Cascavel, o “Radar Cidadão” vem sendo empregado desde o início de 2015 para que as pessoas apontem outros problemas, como buracos na rua e o acúmulo de lixo em locais impróprios. Nestes casos, as informações e fotos são repassadas à Ouvidoria dos municípios. E, por meio da sugestão de moradores do bairro Alimação, de Cascavel, o campo para as denúncias de criadouros do mosquito foi criado em meados de 2015.

Segundo um dos coordenadores do “Radar Cidadão”, Jefferson Lobo, além de Cascavel, outras cidades do Paraná como Curitiba, Londrina e Paranaguá já estão usando o aplicativo no combate à dengue. O mesmo vem sendo feito por 37 municípios do Rio Grande do Norte. A proposta, aponta, é que o aplicativo – disponível para todo o país – seja um canal ágil de comunicação e de interação da população com o poder público.

As denúncias podem ser feitas também pela internet, no site do “Radar Cidadão”. O recurso permite acompanhar se a ocorrência foi verificada ou não. As informações auxiliam ainda na identificação de regiões com maior número de indicações de possíveis problemas. Em duas semanas, foram feitas pelo aplicativo e pelo site cerca de 300 denúncias.

Balanço estadual
O boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) na terça-feira (5) indica que o estado conta com 1.726 casos de dengue confirmados desde agosto de 2015. Entre as cidades com o maior número de infectados está Paranaguá (491), Foz do Iguaçu (290) e Londrina (280).

No balanço estão ainda 105 notificações de febre chikungunya, sendo quatro delas confirmadas – em Telêmaco Borba, Jacarezinho, Mandaguari e União da Vitória.

E, nesta sexta (8) a Sesa confirmou a primeira morte por dengue homorrágica no estado em 2016. A vítima é uma mulher de 25 anos, que morava em Paranaguá. A cidade vive uma epidemia da doença.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: