Pular para o conteúdo

Em RR, casos de malária vindos do exterior representam 49% em 2013

28/01/2014

Fonte: G1 – 25/01/2014

dos 8.267 casos confirmados de malária em 2013, mais de 49% eram importados de outros países, como Guiana e Venezuela.

Dos 8.267 casos confirmados de malária em 2013, mais de 49% eram importados de outros países, como Guiana e Venezuela.

Dados do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, dos 8.267 casos confirmados de malária em 2013, mais de 49% eram importados de outros países, como Guiana e Venezuela.

As informações revelam que em 2012, foram 2.524  pacientes notificados, e no ano seguinte o número subiu para 3.967 atendidos na rede de Atenção Básica nos municípios.

Segundo o gerente do Núcleo Estadual de Controle da Malária Jonas Monteiro, enquanto os números caíram de 2012 para 2013, os casos importados aumentaram consideravelmente. Ele traçou o perfil dos pacientes atendidos nos postos dos municípios. “A maioria é paciente do sexo masculino vindo de garimpos, com faixa etária de 39 a 49 anos”, informou.

Municípios
O município de Roraima com maior incidência de casos importados é Boa Vista, com 3.038 pacientes estrangeiros atendidos. Ou seja, por concentrar mais de 60% da população do estado, a capital representou em 2013 um percentual de 80,67% sobre o ano anterior.

Entre os municípios do interior, o fluxo de pacientes notificados é na maioria em Pacaraima (378),Mucajaí (111), Alto Alegre (50), São Luiz (43) e Bonfim (33). O gerente explicou que o tratamento é o mesmo ofertado em todo o Brasil. “O paciente vai ao posto de saúde, e caso exista suspeita da doença é coletado amostra de sangue. Vindo a confirmar o tipo de malária, o tratamento é logo iniciado”, informou.

A lâmina com sangue para o exame de malária demora em média cinco a dez minutos para ser lida, após ter passado por todo o processo de preparação, que é a verificação do pigmento correto da coloração que ajuda no descobrimento da doença. “Para facilitar e padronizar o trabalho das bases, produzimos um tipo único de corante que ajuda no diagnóstico da malária e entregamos no ponto de uso”, destacou.

Tipos de malária

No estado circulam dois tipos de malária, o plasmodium vivax e plasmodium falciparum. Esse último é o mais grave, e se não for tratado logo pode levar o paciente à várias complicações, exemplo, ao coma, mau funcionamento dos órgãos vitais e demais problemas.

“Dos 8.267 casos positivos, 6.120 foram de malária tipo vivax, a mais comum entre a população. Enquanto do tipo falciparum, houve um registro de 1.921. Além de 225 pacientes com os dois tipos da doença em todo o estado”, informou Monteiro.

Dados
Contudo, comparando os casos positivos de malária durante os dois últimos anos é notório perceber a redução do estado para 1,4%. Com 8.387 casos confirmados em 2012, contra 8.267 durante o ano passado. Os dados são do Sivep/Malária. Em Roraima, comparando os últimos três anos, os registros da doença ficaram acima da média nacional.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: