Skip to content

Material ativado com luz solar mata mosquito da dengue

24/06/2014

Fonte: Inovação Tecnológica – 17/06/2014

Dengue: Conheça melhor o mosquito da dengue

Dengue: Conheça melhor o mosquito da dengue

Pesquisadores da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) desenvolveram um material que, em contato com a água e sob luz solar, impede a eclosão dos ovos dos pernilongos Aedes aegyptie mata as larvas recém-nascidas.

O material é fabricado na forma de um tijolo de concreto, que passa por um processo de tratamento químico sob pressão, no interior de uma autoclave.

Quando pronto, o tijolo é poroso e leve, com uma densidade menor do que a da água, o que o faz flutuar.

“Nossa intenção era trabalhar um processo ambientalmente correto e que contribuísse com os métodos e tecnologias já disponíveis para evitar a proliferação da dengue,” conta o professor Jadson Belchior, coordenador da pesquisa, iniciada há um ano e meio.

Processo fotocalítico

Além de água limpa, as larvas doAedes aegypti, pernilongo transmissor da dengue, precisa de material orgânico e oxigênio.

A proposta dos pesquisadores foi criar um mecanismo que não deixasse a larva eclodir ou não permitisse o desenvolvimento daquelas já formadas, matando-as por asfixia ou por falta de alimentação.

Depois de receber tratamento químico, o tijolo é cortado em cubos ou tabletes e depositado nos locais a serem protegidos.

O material, que fica boiando na superfície da água, reage por meio de um processo fotocatalítico – um processo induzido pela radiação solar.

No momento em que ocorre a combinação de água, luz e tablete, é gerado um composto químico que mata as larvas do pernilongo – o composto químico gerado ainda está sendo mantido em sigilo porque o processo está sendo patenteado.

A tecnologia pode ser utilizada em qualquer lugar onde houver a possibilidade de acúmulo de água, como vasos de plantas, calhas e caixas d’água. Sem água ou luz, o dispositivo não entra em atividade, uma vez que é necessária a combinação das duas condições para desencadear a ação.

A equipe também desenvolveu o material na forma de uma manta flexível, com as mesmas propriedades químicas dos tabletes, para facilitar a adaptação a determinadas estruturas, como as calhas, onde é comum o acúmulo de água – a manta assume o formato da estrutura e adere à superfície em que for colocada.

Segurança

O professor Jadson Belchior afirma que o material tem vida útil de quatro a cinco meses, o que seria suficiente para uma proteção durante a época do ano mais propícia à proliferação dos pernilongos e à transmissão da dengue.

Quando está inerte por falta de água ou de luz, o material não perde as características. “Havendo água e luz continuamente, a durabilidade é de cerca de quatro meses. Se, por exemplo, houver um intervalo de dois meses na atividade, a durabilidade sobe para seis meses”, salienta.

Ele garante que o princípio ativo utilizado não é nocivo à saúde humana e não afeta a potabilidade da água, embora a tecnologia ainda dependa da aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser utilizada, por exemplo, em reservatórios de água para consumo humano.

Biomarcadores e controle da qualidade são temas de conferências magnas

24/06/2014

Fonte: Site do Evento

Biomarcadores e controle da qualidade são temas de conferências magnas

Biomarcadores e controle da qualidade são temas de conferências magnas

As médicas norte-americanas Nikola Baumann e Leslie Donato são duas das palestrantres confirmadas para apresentar conferências magnas no 48º Congresso da SBPC/ML. O tema de Baumann é Controle da qualidade e segurança do paciente. Donato vai falar sobre Novos biomarcadores para avaliação de risco cardiovascular

Conferências magnas são atividades que acontecem uma em cada dia, sem que ocorra outra atividade simultânea para que todos os participantes do congresso possam assistir.

PhD em bioquímica pela Universidade de Wisconsin (EUA), Nikola Baumann é codiretora do Laboratório Clínico Central e diretora da Central de Processamento da Clínica Mayo. Ela também trabalha no Programa da Comissão de Coordenação da American Asociation for Clinical Chemistry (AACC) e é presidente da Comissão de Diretrizes em Medicina Laboratorial para uso do hCG na prática clínica.

Além de outras atividades, a médica também participa do Comitê de Desenvolvimento para o Controle Estatístico da Qualidade (C24) do CLSI e é professora colaboradora do programa da AACC para Certificação de Controle da Qualidade em Laboratório Clínico.

Leslie Donato é o codiretora do Laboratório de Medicina Cardiovascular e do Laboratório Clínico e Point of Care do Departamento de Medicina Laboratorial e Patologia da Clínica Mayo. PhD em bioquímica e em biologia molecular pela Universidade de Ithaca, em Nova York, completou sua formação em química clínica na Mayo, em 2012. No ano passado, foi nomeada “palestrante itinerante” da AACC para apresentar conferências em diversos eventos pelos Estados Unidos.

A médica é autora de 14 publicações peer review (revisão por pares), três capítulos de livros e inúmeros trabalhos apresentados em congressos, nos quais obteve diversos prêmios.

A programação detalhada do 48º Congressso da SBPC/ML está na seção Programação.

XXV Congresso Brasileiro de Entomologia (XXV CBE)

18/06/2014

Fonte: Site do evento – 18/06/2014

XXV Congresso Brasileiro de Entomologia (XXV CBE)

XXV Congresso Brasileiro de Entomologia (XXV CBE)

A Sociedade Entomológica do Brasil (SEB) em parceria com a Embrapa Arroz e Feijão e a Universidade Federal de Goiás (UFG), tem o prazer de convidá-los para participar do XXV Congresso Brasileiro de Entomologia (XXV CBE), o segundo maior evento entomológico do mundo, a se realizar de 14 a 18 de setembro de 2014 no Centro de Convenções, na cidade de Goiânia, GO.

Com o tema “Entomologia integrada à sociedade para o desenvolvimento sustentável”, iremos fazer um congresso inovador, levando os avanços da pesquisa entomológica não somente para a academia, mas também para os setores produtivos rurais e urbanos.

Neste evento teremos também o prazer de hospedar pela primeira vez uma reunião da Seção Internacional da Sociedade Americana de Entomologia (ESA), para darmos início a uma parceria entre as duas sociedades visando o estabelecimento de interações conjuntas nos cenários nacional e internacional. Essas interações se encaixam dentro do espírito atual de ações globais da Entomologia num mundo sem fronteiras.

Estamos planejando um programa científico estimulante, que irá explorar as descobertas mais recentes da pesquisa e das tecnologias em Entomologia. Várias novidades estão sendo programadas, como mini-cursos, concursos entre estudantes nas apresentações orais e de pôsteres, e a exposição “Planeta Inseto” uma mostra viva sobre os diversos aspectos dos insetos e seu “universo particular”

Comecem a planejar sua participação desde já. Aguardamos a sua presença em Goiânia para juntos fazermos do XXV CBE um evento único na história da Entomologia brasileira.

Aplicativo de celular pode ser nova arma brasileira contra a dengue

18/06/2014

Fonte: Terra – 16/06/2014

Aplicativo de celular pode ser nova arma brasileira contra a dengue

Aplicativo de celular pode ser nova arma brasileira contra a dengue

Médicos brasileiros esperam contar em breve com uma tecnologia própria para conter surtos de dengue, graças a um aplicativo para “smartphones” desenvolvido por cientistas brasileiros em Natal.

Na capital do Rio Grande do Norte, uma das 12 cidades-sede da Copa do Mundo, o novo aplicativo poderá alertar os moradores sobre os locais onde há concentrações de mosquitos e casos de dengue com um simples toque.

O aplicativo foi desenvolvido pelo cientista acadêmico Ricardo Valentim, em colaboração com o epidemiologista Ion de Andrade, que trabalha para a prefeitura de Natal.

“Se alguém identificar a dengue, a aponta no mapa (do aplicativo) e isso nos permite ver onde está se desenvolvendo e reagir imediatamente para impedir que continue se espalhando”, disse Andrade.

O aplicativo “Observatório da Dengue” está atualmente em fase de testes, mas espera-se que já esteja disponível online no fim do mês. Quando começar a funcionar, permitirá às autoridades saber exatamente onde agir.

“Se forem mosquitos, podemos localizar e tratar a fonte de água. Se um caso suspeito for confirmado, podemos tratar a vítima”, explicou Andrade.

O Brasil tem sido o país mais castigado pela dengue neste século, com sete milhões de casos reportados entre 2000 e 2013, com 800 mortes nos últimos cinco anos.

Em Campinas, onde a seleção portuguesa e seu astro, Cristiano Ronaldo, estão hospedados, três mulheres, de 27, 69 e 81 anos, morreram de dengue este ano.

Não há cura para a doença transmitida pelo mosquito “Aedes aegypti” e o tratamento consiste em acompanhamento da evolução clínica da infecção.

Várias cidades do nordeste do país, como Natal, Recife (Pernambuco) e Fortaleza (Ceará), foram consideradas zonas de risco em um artigo publicado no mês passado por cientistas brasileiros e europeus na revista Doenças Infecciosas The Lancet.

Só este ano, Natal registrou 3.000 casos e, embora seja conhecida como “Cidade do Sol”, tem sofrido com chuvas torrenciais desde que a Copa começou, na quinta-feira passada.

Em um hospital local, Joana aguarda para fazer um exame de sangue.

“Sinto dores de cabeça, nas articulações e tenho febre. No domingo senti dores nos ossos”, queixa-se.

Apesar de estar com todos os sintomas da dengue, Joana pode sofrer de uma simples virose, daí a necessidade do exame.

“Temos visto vários casos de dengue recentemente, mas estamos muito longe de estarmos perto dos níveis considerados de epidemia”, disse o médico potiguar Mario Toscano.

Os bairros mais pobres de Natal muitas vezes não têm acesso à água corrente e menos ainda a computadores ou smartphones com aplicativos.

Por isso, nas favelas, onde as crianças andam descalças e o esgoto corre a céu aberto por falta de saneamento, o risco de pegar dengue é maior.

“Este é exatamente o tipo de lugar que atrairia mosquitos”, disse o agente sanitário Aberdal Varela da Fé, apontando para uma cisterna de concreto com água parada, usada por várias famílias para cozinhar e tomar banho em seus pequenos barracos de um único quarto.

Na água parada, as fêmeas dos mosquitos põem ovos que viram larvas e logo se transformam em mosquitos transmissores da doença.

Depois de visitar outra casa próxima, Aderbal Varela, um dos 380 agentes sanitários contratados pela cidade para controlar focos da dengue, viu um cenário melhor.

“Sua casa está muito limpa”, disse à idosa Ivanilda Firmino. “Todos os recipientes com água têm tampa”.

Dona Ivanilda têm razões para permanecer vigilante. “Sou muito cuidadosa porque o meu filho já teve dengue quatro vezes”, disse.

Com centenas de milhares de visitantes estrangeiros viajando pelo Brasil até o final da Copa do Mundo, em 13 de julho, as autoridades estão tomando as precauções necessárias.

“Sempre há um risco, mas este ano não é tão grande”, disse Alessandre de Medeiros Tavares, chefe médico do grupo de controle de dengue da Prefeitura de Natal.

“Graças aos nossos trabalhos de campo, tivemos menos casos. Se tivermos que fazer mais, temos um plano para a ‘Copa do Mundo’ pronto para entrar em ação”, destacou. “Mas acreditamos que o mais provável é que não tenhamos que usá-lo”.

MedTrop 2014: Prazo prorrogado para 23/06

12/06/2014
As inscrições para participar do Congresso MedTrop 2014 podem ser feitas pelo site até o dia 26 de julho.

As inscrições para participar do Congresso MedTrop 2014 podem ser feitas pelo site até o dia 26 de julho.

O prazo para envio de trabalhos para o 50º Congresso Brasileiro da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, MedTrop 2014, foi prorrogado para 23/06. O evento será nos dias 26 a 30 de agosto em Rio Branco/AC.  Os trabalhos deverão incluir-se em um dos temas abaixo:

a)       Doenças por artrópodos e animais peçonhentos

b)       Doenças por bactérias

c)        Doenças por fungos

d)       Doenças por helmintos

e)       Doenças por vírus

f)         Doenças por protozoários

g)       Doenças sexualmente transmissíveis e AIDS

h)       Miscelânea/ Outros

Para ver outras informações sobre o envio de trabalhos ao MedTrop2014, clique aqui ou visite o site: http://www.medtrop2014.com.br/envio-de-trabalhos/

Alunos do ensino médio desenvolvem larvicida contra dengue

12/06/2014

Fonte: Exame – 11/06/2014

Alunos do ensino médio desenvolvem larvicida contra dengue  / Enerson Cleiton

Alunos do ensino médio desenvolvem larvicida contra dengue / Enerson Cleiton

Alunos do 3º ano do ensino médio do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) descobriram um extrato vegetal com alta eficiência como larvicida contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.

O projeto começou a ser desenvolvido em 2013 na Coordenação de Ciências da instituição pela professora e bióloga Rosiane Leite, que orienta estudantes da educação profissional dentro de um programa de iniciação científica júnior.

No Brasil, existem muitas linhas de pesquisas para o combate à dengue, desde vacinas, odores, mosquitos transgênicos e seleção de extratos de plantas. Entretanto, o extrato da espécie Miconia sp. nunca havia sido testado para esse fim.

Há muitas espécies do gênero Miconia por todo o país, com nomes populares pouco conhecidos. A professora explica que, durante seu mestrado, estudou a interação das formigas com essa planta e que ela é mais conhecida entre os ecólogos, pois fornece frutos para os pássaros durante o ano todo.

Os alunos Bárbara Freitas e Gabriel Batista, que fazem curso técnico em construção civil, desenvolveram o extrato após vários testes, com o incentivo da professora e dos amigos.

Rosiane Leite conta que comprou algumas vidrarias do próprio bolso e pediu a ajuda de familiares para comprar o álcool necessário aos testes, por causa do limite por pessoa para adquirir o produto.

Outro desafio foi conseguir as larvas do Aedes aegypti. Eles acabaram indo a campo e recolheram larvas pela vizinhança, conta a professora, explicando que houve dificuldade em fazer a seleção devido às diferentes espécies e estágios das larvas encontradas.

Com a apresentação do projeto na Mostra Específica de Trabalhos e Aplicações do Cefet-MG, em 2013, o professor Fabiano Duarte Carvalho, da Fundação Oswaldo Cruz, propôs uma parceria e forneceu larvas específicas para os testes. Além disso, em agosto, Carvalho dará um treinamento para que os alunos possam criar suas próprias larvas.

Segundo a professora, será possível refazer os testes para a comprovação da eficácia do larvicida e então publicar o trabalho. “A dengue é uma preocupação bem antiga. Como educadora, sempre procuro mostrar a importância de não deixar água parada. Mesmo sendo escola básica, ainda é possível buscar soluções para minimizar os problemas, mesmo que seja em âmbito local”, disse Rosiane Leite.

No início deste ano, o projeto foi selecionado para participar da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, que ocorreu em março, e foi premiado com a quarta colocação entre 40 projetos da área de biologia.

Uberaba é referência nacional de ações de combate à dengue

10/06/2014

Fonte: Jornal de Uberaba – 08/06/2014

Uberaba é referência nacional de ações de combate à dengue

Uberaba é referência nacional de ações de combate à dengue

Trabalho desenvolvido pela prefeitura Municipal de Uberaba para combater a dengue, foi premiado no XXX Congresso Nacional das Secretarias Municiais de Saúde.  Há nessa mostra “Brasil aqui tem SUS”, o projeto: “Estratégia de gestão, controle e prevenção da dengue no município de Uberaba”. Este projeto ficou entre os 10 melhores de experiências exitosas selecionadas pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) de Minas Gerais , sendo premiado no evento nacional que aconteceu em Serra, no Espírito Santo, que foi representado pelo secretário de saúde, Fahim Sawan. Entre as séries de ações implantadas no município para combate a dengue. O monitoramento eletrônico e identificação em tempo real de possíveis focos do mosquito possibilitando o combate geo referenciado foram o mais elogiado.

O prefeito Paulo Piau declarou que estava muito satisfeito de ver que ações desenvolvidas na cidade foram reconhecidas na mostra “Brasil aqui tem SUS”, visa propiciar o intercambio de experiências municipais bem sucedidas no SUS, bem como estimular e divulgar as ações de cidades que inovaram nas soluções visando a garantia do direito à saúde. Até porque esse congresso de Conasems é conhecido como um dos maiores e mais importantes da área de saúde pública do Brasil e do mundo. “Quando assumimos a prefeitura herdamos uma epidemia e eu disse que nos próximos anos não aceitaríamos isso novamente em Uberaba. Por isso, no primeiro ano de mandato já desenvolvemos, decretamos estado de urgência e a população atendeu o nosso chamado”, conta Piau. Informou que essa parceria foi responsável por trabalhar de maneira inteligente, utilizando tecnologia e hoje, sendo premiado.

O secretário de saúde, Fahim Sawan, explicou que mesmo sendo premiado nacionalmente pelo trabalho desenvolvido de combate ao mosquito, em momento nenhum, o governo municipal vai diminuir as ações habituais para evitar que Uberaba venha a ter outro caso de epidemia. Lembrando que devido a infestação do mosquito Aedes Aegypti, várias pessoas ficaram doentes em Uberaba, inclusive alguns foram a óbito. “Nós  ficamos entre os melhores, devido o intenso trabalho contra a dengue que realizamos em 2013 e 2014 e ao resultado expressivo que obtivemos com a diminuição significativa de casos de dengue confirmados em 2014. Mesmo com esse resultado, nós não vamos deixar de realizar ações preventivas de dengue para que a população não volte a sofrer com a doença”.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 46 outros seguidores